17 fevereiro 2014

Sobre a liberdade que toda cacheada tem


Hoje aconteceu algo inusitado comigo. Como de costume, acordei, finalizei primeiro o cabelo e deixei na Técnica do Plopping. Geralmente o faço antes mesmo do banho, do café, da maquiagem... Enfim, antes de tudo, porque tenho evitado secador com difusor no dia-a-dia, são raras as vezes em que uso. Então passo o tempo de me arrumar com a touca e quando estou prestes a sair de casa, retiro a toalha batizada (camisa de algodão), dou uma ajeita pro lado e vou à luta. 


Daí o cabelo que secou boa parte com a técnica, termina de secar naturalmente. Com ele seco, é só amassar pra desgrudar e o volume subir. Foi o que não fiz. Porque quando cheguei no trabalho, me ocupei com as atividades típicas de segunda - muita coisa pra fazer - e fiquei as primeiras 2h sem amassar o cabelo.

Até que me deu uma folguinha e fui de frente pro espelho amassar a juba. Todos os dias em que não estou de day-after é o que faço. Minha rotina de crespa. 

Mas hoje eu parei pra lembrar o quanto isso é maravilhoso de fazer. Em tudo em que eu amassava o cabelo, os cachos ganhavam forma; iam subindo de volume, antes lambido; encolhiam-se em molinhas que antes estavam duras, pelo muito creme que nós cacheadas usamos.

Necessariamente para segurá-los firmes o dia todo de trabalho e alguns day-afters de brinde... E foi esse movimento que me fez ganhar o dia, quando ao terminar de tocar meus cabelos a resposta foi dada no meu visual: ali sim era eu, livre, sem amarras, sem entupir minhas "raízes aéreas" de doses químicas ou esconder o potencial volume que meu cabelo tem e se tem é porque é de sua natureza ter.
Essa é a liberdade que toda pessoa que se assume tem. E esse é um dos orgulhos que carrego comigo. 

#OrgulhoDeSerCabeleiraCrespra

Antes e depois...








Surpresa comigo mesma nessa foto. Não mudou só o cabelo: mudou a expressão. É como se estivesse saudável inteira! Cuidar do cabelo vai muito além que simplesmente cuidar do cabelo, é cuidar de si, se conhecer. Cuidar de dentro de você. Eu cuidei de mim e o amor próprio está em torno dessa segunda foto...

#5AnosAtrás








É isso, meninas. Gostaria muito de dividir esses sentimentos com vocês. Tenho certeza que quem passou pela transição sabe exatamente do que estou falando - embora eu não tenha passado por ela - e quero que sirva principalmente às meninas que estão no meio da transição. 
Não desistam. O que vocês estão conquistando é a liberdade de serem vocês mesmas. É por isso que vale a pena
Acreditem nisso, acreditem que vocês podem, não porque vocês devem, mas porque vocês escolheram ser quem vocês realmente são. E é isso o que mais importa!  
Então, força na juba e sigam firme que a resposta vem aí... ;) 

Xero nos cachos,
Tamires =*