16 maio 2014

Aquela só não era eu...

Olá, meninos e meninas, quanto tempo que eu não venho aqui falar com vocês! :D Primeiro peço desculpas, pois a vida tem me chachoalhado ultimamente e até com a Universidade estou em falta! Mas essa não é a ideia, vou melhorar por lá e em presença aqui com vocês, prometo. Eu também quero muito agradecer a vocês que seguem o nosso blog e tem curtido a nossa página no face. Aliás, obrigada bem grande a todos nossos 7 mil curtidores!!! \o/ Outro agradecimento com carinho, vai pra fofa da Rita Colatino, que deu uma repaginada no blog, deixando esse nosso cantinho ainda mais querido. Ela é dessas! Aliás, não deixem vocês de curtir o blog dela, esse lindo: http://ritacolatino.blogspot.com.br/ ^_^ Mas vamos lá de postagem? =D Hoje não é dica de produtos, receitas, etc... Hoje eu quero dividir com vocês uma reflexão.


Primeiro, vejam essa foto:
Sim, essa sou eu. Estranhamente eu. E é aí que começamos essa reflexão...

 Há algum tempo atrás, fui convidada pra fazer um ensaio fotográfico intitulado "As Filhas de Macbeth", pelo querido Alex Walker. Como vocês sabem, sou atriz, trabalho com arte, moda, etc. Então eu aceitei o convite e lá fomos nos preparar para as fotos. Qual é a minha surpresa, faria a Rainha, uma das personagens. E a coroa desta, seria feita de cabelo, em forma de arco. À frente quando vocês verem a foto entenderão melhor.
O fato é que esse arco-coroa era feito de cabelo e liso, então, segundo a cabeleireira que faria nossa produção, disse que para ser compatível com a cora o meu cabelo teria que estar liso. \o/ Ok, tudo bem. Profissional que sou, doaria meu cabelo para o trabalho sem maiores problemas. Com a condição de que só alterasse a estrutura dos meus fios momentaneamente, é claro. Seria só uma chapinha. Só??! Aí vem aquele filme na cabeça: a última vez que fiz um troço desses foi em 2007 pra um desfile e lembro que meu cabelo ressecou muitooooo! Aliás, eu nem desfilei com ele. Me senti tão estranha, que fui no banheiro e molhei tudo. Depois finalizei com Seda, exatamente como a menina Julia. (aqui) Ok, tudo bem, volto a pensar na obrigação do trabalho. Só uma chapinha?! Calma, é pela arte e assim que você chegar em casa, vai retirar isso. Então vamos lá. Somente pelo trabalho ser artístico, me predispus, pois trabalho com arte e situações assim fazem parte do pacote mesmo. Se tivesse a possibilidade de usar uma peruca, eu ficaria mais confortável, é claro. Mas o meu cabelo nem foi usado solto...




















Então, o que acharam das fotos?? o.O

Bom, primeiro eu gostaria de ressaltar que não sou contra o cabelo liso. Não sou contra as pessoas mudarem de visual. Pra mim, não é necessário químicas transformadoras pra isso. Não tenho o interesse em fazer com que todas as pessoas cacheiem seus cabelos. Mas gostaria de dividir com vocês a minha angústia ao me ver com o cabelo liso. Não pelo fato de ser liso, cabelos lisos são lindos. Eu sempre tenho vontade de abraçar uma pessoa que passa na rua com o cabelo naturalmente liso. Porque a coisa mais rara hoje em dia nem é mais um cabelo cacheado ou crespo assumido. As próprias pessoas de cabelo liso alisam também o cabelo! Oi? Alisar o já liso? Contraditório, não? Mas é isso.
Mas isso não é o pior. O pior é a falta de consciência disto. Algumas pessoas acreditam que nós blogueiras, vloggueiras, enfim, crespas, estamos ditando a moda do cacheado. Eu me preocupo com essa afirmação. Porque se as pessoas dizem isso, é repetindo de uma tal Dona Mídia que resolveu, ela sim, ditar isso.

Aí eu me recordo das palavras do querido Nilton Resende, doutor em Literatura quando faz as seguintes provocações em uma de suas aulas para vestibulandos (e que aulas, hem?). "Lembram do Movimento Punk Rock? Black Power? Sabe o que a Mídia fez com eles? Transformou em moda, em tendência. Eram Movimentos que diziam Não à Mídia e todas as vezes que um grupo de pessoas se reúne para contrariar a Mídia, é isso que ela faz: transforma em moda."

Pois é, gente. Devemos estar atento às tendências. Não só para nos vestir bem. Eu gosto de me vestir bem. Do meu jeito. E até onde não interfiram na minha liberdade de escolher estar bem comigo e com a roupa que visto. Em outras palavras, eu não costumo aceitar o que me é imposto. Sempre ponho um "por que eu devo fazer isto ou aquilo" e assim sigo.

Mas voltando, é isso: eu sou apaixonada por qualquer tipo de cabelo naturalmente assumido! É desse naturalmente que eu quero falar. É que estamos vivendo no tempo da troca de valores e devemos voltar lá pra como éramos antes pra tentar enquanto humanos, evoluirmos mais. E o engraçado dessa história toda é o Movimento Transição Capilar ser visto como Moda, enquanto as pessoas alisarem seus cabelos já lisos, somente pelo ato automático de experimentar a mais nova tendência dos salões de beleza e porque esse virou o conceito de tratamento capilar não é moda! A coisa é tão automática, tão enraizada na sociedade, que qualquer problema capilar que aparece as pessoas recorrem às químicas! E voltando a falar em voltarmos pra antes, para problemas capilares não seria o caso de uma receita caseira, mundo capitalista e amplamente industrializado? Assim como médicos (conscientes e livres do pré-conceito capitalista que diz que as receitas caseiras não funcionam) já indicam chás para tratamentos de doenças! É claro que esse mundo vai dizer que não. Que todas as medidas naturais funcionam devido ao psicológico. Mas nós, dizemos não também: por que não? Por que não ser quem eu naturalmente sou ?



É que ali nas fotos, eu não estou naturalmente lisa. Isso porque eu não nasci assim. Até nasci, mas cresci e o cabelo modificou me deixando cacheada. Aliás, quantas pessoas pulam etapas de suas vidas transformando quimicamente os cabelos e mantendo aquilo que não é dela por 10, 20 e até 30 anos. É que o cabelo tem suas transformações naturais. É nosso corpo ainda, ora, esquecemos? E assim como passamos pela puberdade, mudam também os cabelos. Que honra quem passar a vida inteira sem nenhum tipo de química ter passado pelo cabelo e a possibilidade de sentir as diferentes mudanças pela qual o cabelo passou. E sabe o qual é o problema em quimicar? A cada mês, bimestre ou trimestre a raiz vai estar lá, protinha para você retocar ou se deparar com o que você realmente é.







A outra questão que me preocupa arduamente é que se a pessoa que "trata" quimicamente os cabelos não parar de fazê-lo por conta própria vai fazer de um jeito ou de outro. Começa com uma queda, a queda se torna aguda, se ela não cuidar logo em parar com a química ou o processos de esticamento (escovar e chapar), vai ficar careca. Procurem casos na internet, vejam a realidade. Ou, procure no seu dia a dia. Quantas pessoas em transição capilar não estão parando a química porque o couro cabeludo já está maltratado o suficiente pra não aguentar mais? Várias!

Pois é, são diversos os motivos pelo qual eu não me acho bonita com esse cabelo liso. Especificamente esse. Forçado a ser o que está sendo no momento e que bastaria uma chuva para estragar o penteado. Ilusão. Manter algo em mim que não é de verdade é pura Ilusão. Simplesmente porque eu nunca teria o cabelo liso. É olhar nas fotos e observar a textura: seco, sem brilho, sem balanço, sem vida, enfim, uma palha. Essas não são características dos belos cabelos das indianas, tratados desde os primórdios com recursos totalmente naturais. Então esse meu cabelo aí nas fotos, eu não preciso.
Ao contrário disto, prefiro meu cabelos crespo, por ser meu, por me reafirmar. Com todo trabalho que tenho para cuidar, não é um bicho de 7 cabeças ou coisa mais impossível. É o mal de não termos aprendido a lidar com os cachos. Quando nos deparamos com o volume na infância, nos deram a possibilidade de relaxar "somente para baixar o volume", enquanto que é só hidratar, nutrir, reconstruir e plim! cadê o volume?? Baixa. É muito amassamento de cacho, pente garfo, chacoalho, pra o volume subir. A culpa não é só nossa, fomos educados assim. Mas ainda há tempo de voltar para nós mesmos e nos dá uma chance. Nos ver sob outra perspectiva e experimentar o novo. Eu não passei por transição capilar, mas aprender a lidar com meu cabelo natural foi uma das melhores descobertas que fiz na minha vida. É por isso que acredito no Movimento Transição Capilar enquanto um movimento Político. Porque somos muitos no mundo e só será possível uma mudança eficaz nele quando pudermos mudar nós mesmos. Cada um, individualmente, e de dentro pra fora. É isso que essa mudança provoca: a possibilidade de no meio desse tumulto todo de mundo aguçadamente capitalista pessoas em diversos lugares pensarem através do cabelo que elas são capazes de transitar entre a infância e o que elas estão sendo no momento para com isso construir a reflexão que precisamos todos para que as coisas mudem. E só se conhecendo e sabendo bem quem somos para ajudar o outro a fazer o mesmo e com isso, construirmos uma corrente de mudanças contínuas. Eu falo isso porque muito das violências surgem das aparências. E o meu sonho é sair na rua e me deparar com mundo sem padrões, diferente por natureza, misto e igual em direitos. Gente de cabelo liso, crespo, ondulado, preto, grisalho, lilás...! Todas as possibilidades! Enquanto isso, eu só quero cada vez mais ser eu mesma e fazer minhas próprias descobertas aberta a multiplicar meus aprendizados. Se querem fazer o mesmo, sejam bem-vindos e sintam-se em casa! =)


Algumas fotos do resultado

 



É isso, amores. Era o que eu estava querendo muito dividir com vocês. Espero que minha reflexão seja válida e que vocês digam suas opiniões. Estou aberta a ouvi-las e aprender também com vocês. Um abraço enorme e brigada por terem acompanhado a postagem! =*





Todas as fotos do cabelo liso tem o crédito de Elaine Raposo. ***


21 comentários:

  1. Que linda essa coroa de cabelo! Tá poderosa demais com o look de rainha!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela reflexão, adorei! Você ficou linda interpretando essa personagem AMEII. Bjs GATA :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Clécia! Volte sempre em nosso blog! =* *-*

      Excluir
  3. As fotos de qualquer maneira estão lindas!!! Divinas!!
    Mas como vc falou, pra que ser quem não somos, né?
    Ser imposta pela sociedade ou pela mídia pra ser aceita???
    Nina, nina, não!! Identidade e personalidade sempre!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo, Juliane. De nada vale e o artificial é imediatamente denunciado. Identidade sempre! Obrigada por estar conosco! =D

      Excluir
  4. Linda mensagem, Tamires. Seu projeto é lindo!! Acredito que ele tem ajudado a muitas pessoas que, assim como eu, estão libertando a cabeleira rsrsrs. Depois que comecei a acompanhar suas postagens, já não é mais incômodo o fato das pessoas falarem que estou estranha com o cabelo de raiz crescida. Espero que em breve possamos nos conhecer pessoalmente, pois tenho o desejo de resgatar definitivamente meu cabelo original. Conto com você :) !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que lindas palavras, flor!! Conte comigo! ^_^ :D

      Excluir
  5. Vc arrasa sempre né Tam! Adorei o post...
    já pensei varias vezes em alisar ou qualquer outro tipo de química que fizesse baixar o volume. Mas descobri você com esses cabelos lindos e enormes, e resolvi ser eu mesma!

    ResponderExcluir
  6. Que linda você, flor! *-* Continue cuidando dos seus cachos, experimentando hidratações, técnicas de cuidado, para se ver cada vez mais como é! Obrigada por estar conosco! =*

    ResponderExcluir
  7. Você é uma inspiração ! sempre uso suas postagens do blog para convencer minha cunhada a deixar seus cachinhos lindos que ela teima em alisar, tenho uma sobrinha de seis anos, também com cachinhos que toda a família fica falando que ta feio que dá trabalho etc e tal, mais as coisas estão mudando depois das suas postagens, sem falar que todo mundo lá em casa te acha muito gata rsrsrsrs, vou mostrar esta postagem também muito boa sua reflexão, parabéns Tam !
    Quem me dera ainda ter meu cabelinhos pra deixar cachadinhos tbm rsrsrsrsrsrsr
    BJÂO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, Wagner, fiquei muito feliz desse seu comentário! Parabéns, viu, por contribuir com sua família, você é um exemplo! Obrigada mesmo! :D

      Excluir
  8. Arrasou Tam, eu considero este aqui o seu melhor post até hoje, bato palmas, fico bom demais, político, consciente, generoso e corajoso por compartilhar algo muito pessoal. Beijos ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que lindo e feliz ouvir isso da minha companheira de blog, Dea. Brigadooonaa!!! *-* :D <3

      Excluir
  9. Parabéns, Tamires, pelas fotos, pelo texto.....Linda demais!
    bjks

    ResponderExcluir
  10. Bom, depois dessa postagem eu simplesmente me desabei em uma mistura de lagrimas, por lembrar de todo meu sofrimento na infancia com apelidos e tudo mais, quanto na vida adulta com os esticas e puxa dos alisamentos e queimaduras com produtos quimicos, e tambem de alegria de poder aprender e conhecer pessoas que iguais a mim disse basta, eu sou assim e pronto. Meninas muito obrigado pelo tempo e espaço que dedicam a esse blog e com esse pensamento e atitude que vamos livrar muitas meninas de passar por tanto preconceito, bjs Izabel de Souza

    ResponderExcluir

Antes de deixar seu comentário consulte o próprio blog no "Pesquise aqui", às vezes sua dúvida está em outra postagem. Mas se você não encontrar no blog, deixe seu comentário, tire suas dúvidas sem timidez! Eli e eu vamos fazer o possível para ajudá-las. Obrigada por estar conosco, xero nos cachos! xD